23 de fevereiro de 2017

uma entrevista a Raduan Nassar




4 comentários:

  1. Genial!
    O homem é um portento de lucidez! Que visão do mundo, da arte, da política, da literatura...
    Já que abandonou a escrita, espero que se dedique à oratória, porque as suas conferências devem ser fascinantes.
    Aprendi muito com esta excelente entrevista!

    Só tenho que agradecer-lhe, Ricardo, tão suculento manjar!
    ABRAÇOS!

    ResponderEliminar
  2. Acabei de ler o livro para a nossa sessão. No Verão passado tinha lido "Um copo de cólera". Gostei de ambos. Quanto a esta entrevista, preciso de mais um tempo. No entanto, já me agrada a ideia inicial sobre o burburinho da literatura: «ele jamais admitia autografar suas obras em festas de lançamento.»

    ResponderEliminar