6 de fevereiro de 2015

o início de TEORIA DOS LIMITES

«Não não, disse, e continuou a andar, seguindo os homens que levavam o caixão aos ombros, por entre jazigos com inscrições de amor e saudade eternos e campas com flores murchas e ar abandonado, e apertou-lhes ainda mais as mãos, a agradecer o cuidado e a ternura.»

Maria Manuel Viana, Teoria dos Limites, Lisboa, Teodolito, 2014.

Sem comentários:

Publicar um comentário