25 de maio de 2020

CLUBE DE LEITURA DO MUSEU FERREIRA DE CASTRO

O HOMEM QUE ERA QUINTA-FEIRA



Ainda só cheguei ao capítulo IV e estou completamente rendido. É uma obra-prima!O capítulo III é de loucos; uma luta de (dissimulados) titãs em que cada golpe é melhor que o anterior.Obra magistral! 





"Ao subir para bordo Gabriel Syme virou-se para o embasbacado Gregory:
- Você cumpriu a sua palavra. É um homem honrado e eu agradeço-lhe. Cumpriu-a até ao mais pequeno pormenor. Houve uma coisa em especial que me prometeu logo ao princípio disto, e que de facto me proporcionou.
- Que quer dizer? - gritou o confuso Gregory. - Que lhe prometi eu?
- Uma noite muito divertida - respondeu Syme, e fez a continência militar com a bengala, enquanto o barco se afastava."

Boas leituras!

FF
  

5 comentários:

  1. Boa tarde tudo bem? Sou brasileiro e procuro novos seguidores para o meu blog. Eu também posso te seguir. Novos amigos também são bem vindos.

    https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

    ResponderEliminar
  2. O Chesterton era um príncipe. Lembram-se do Padre Brown?...

    ResponderEliminar
  3. Então um príncipe ("do paradoxo"?), anglicano convertido ao catolicismo pela acção de um bom padre Brown... O meu livro é da 2ª edição da Portugália, sem data, tradução de Domingos Arouca e capa de Tóssan. Colecção Biblioteca dos Humoristas com uma interessante nota prévia onde se fala do humor inglês e de S. Francisco de Assis, o «santo que via o mundo de cabeça para baixo», o que lhe dava da vida «uma imagem nova e estranha»- Já li até ao V capítulo.

    ResponderEliminar
  4. Acabado o Capítulo VII, fiquei com apetite do VIII. Conto matar a curiosidade hoje.
    Que imaginação! Que retratos!
    Questiono-me: aonde irá isto parar?
    E lembrei-me de Sauvarine, mais pelo contraste que pela semelhança.
    Prossigamos.

    ResponderEliminar